Notícias

Compartilhe:

O impacto econômico da pandemia é apontado pela Secretaria da Fazenda de Joinville como principal motivo pela estimativa de queda do índice de retorno do ICMS para 2023, calculado com base no desempenho econômico de 2021. As projeções internas já apontavam a queda por causa da redução da atividade econômica em determinados setores. Portanto, o dado não seria surpresa, ainda que exista a convicção de que o índice possa ter elevação com eventual revisão. Para os anos seguintes, a projeção é de recuperação.

A estimativa divulgada na sexta-feira pela Secretaria de Estado da Fazenda, Joinville tem índice provisório de 8,07% no retorno do ICMS em 2023, uma redução expressiva em relação ao índice atual, de 8,69%. Com o recuo, Joinville pode perder para Itajaí a liderança em Santa Catarina no ranking do tributo estadual. Na projeção, a cidade portuária foi para 8,12%. Os índices definitivos serão divulgados em dezembro.

A estimativa mostra um recuo de Joinville sem que o patamar anterior a outras crises tenha sido recuperado, ainda que a volta de um cenário de maior hegemonia da cidade seja complexo devido à maior diversificação econômica do Estado. Em 2009, a cidade ficava com 9,95% do retorno do ICMS para os municípios. No ano seguinte, já com os reflexos da crise internacional de 2008, o índice ficou em 9,42%.

Nos anos seguintes, Joinville teve recuperação no desempenho econômico e o índice do ICMS voltou a subir. A queda voltou após a crise de 2014/2015 e continuou nos seguintes. Em 2018, pela primeira vez o índice ficou abaixo de 9%, marca que não foi mais atingida.

Via Saavedra