Notícias

Compartilhe:

Reduto de praias preferido dos argentinos, Santa Catarina começa a chamar a atenção das autoridades do país vizinho por outros setores econômicos além do turismo. As exportações dos hermanos para SC no período de janeiro a março deste ano tiveram um salto de 60,9% frente ao mesmo período de 2021, quando recuaram 15%. Atento a isso, o embaixador do país no Brasil, ex-vice-presidente Daniel Scioli, esteve em Florianópolis nesta terça-feira para abrir mais portas a negócios, acompanhando uma missão comercial. SC é o terceiro maior mercado da Argentina no Brasil, só atrás de São Paulo e Rio Grande do Sul. 

Scioli participou da inauguração da Câmara de Comércio Argentino-Brasileira (Camarbra) em Santa Catarina ao lado de diplomatas do país e do cônsul argentino no Estado, Federico Eugênio Costa. O evento foi na tarde desta terça-feira, no Hotel Majestic, em Florianópolis. Para facilitar a aproximação com o setor econômico, a Camarbra em SC terá como diretor o empresário Rodrigo Prisco Paraíso.

Daniel Scioli também assinou acordo de cooperação com a Associação Catarinense de Supermercados (Acats), que foi representada pelo presidente Francisco Crestani e o presidente do conselho deliberativo, Paulo Cesar Lopes. Ficou motivado ao saber de Crestani que o Estado tem perto de 10 mil supermercados, é um setor que representa muito os produtos alimentícios argentinos.

Paulo Cesar Lopes informou que existem muitas oportunidades para alimentos do exterior nos supermercados, destacando que na rede própria, importa mais vinhos e queijos. Outro acordo assinado por Scioli foi com a trader Brasil Mundi, com o objetivo de ampliar a importação de produtos argentinos no mercado catarinense e também no Brasil. A empresa ofereceu desconto de 25% nos custos de serviços para facilitar os negócios com o país.

– Depois do golpe da pandemia, nosso país necessita recuperar a economia, recuperar o emprego, o desenvolvimento e lutar contra a inflação. A inflação é um fenômeno mundial, é um problema na Argentina, no Brasil. Se aumenta a oferta de produtos é possível baixar preços – disse Scioli.

Ele disse que a economia argentina está em recuperação e as exportações para Santa Catarina avançaram em diversos setores, em especial automóveis e alimentos.

Levantamento da Federação das Indústrias de SC (Fiesc) apurou que em 2021, SC importou da Argentina US$ 1,4 bilhão e exportou US$ 574,34 bilhões, com déficit de US$ 838,27 milhões. Nos primeiros quatro meses deste ano, as importações somaram US$ 373,62 milhões e as exportações, US$ 177,17 milhões, com déficit de US$ 196,45 milhões.

A principal razão da aceleração das vendas da Argentina ao Brasil é a exportação de automóveis, que avançaram porque a Ford fechou fábrica no país e optou por importar da unidade argentina. Depois, destacam-se também polímeros de etileno e alimentos em conserva.

 Via NSCTotal – Coluna Estela Benetti