Destaque

Compartilhe:

Ação social dos auditores fiscais conta com a parceria dos projetos Mochila Solidária e Voluntários do Bem

O dia amanheceu diferente na Ocupação Contestado, no bairro Serraria (São José) que tornou-se o lar de 110 famílias da Grande Florianópolis na última década. Com os olhos atentos a cada carro que estacionava próximo à rua Eduardo Manoel da Rosa, dezenas de crianças aguardavam ansiosas pelas instruções da líder comunitária Patrícia de Oliveira.

“As mochilas chegaram, graças a Deus! Algumas crianças já voltaram para a escola na segunda-feira (7) e tive que pedir para o pessoal improvisar com o que tinha em casa enquanto a gente buscava uma solução. Essas doações caíram do céu! Vocês são como anjos para nós!”, contou, em tom de desabafo, a líder comunitária. “Pessoal, eu tenho anotados os nomes de todas as crianças que vão receber o material escolar, não se preocupem porque tem para todo mundo, não vai faltar pra ninguém”, disse enquanto tentava dar instruções aos vizinhos para que organizassem a fila para a retirada do kit escolar.

O material entregue na manhã de quarta-feira (9/2) na Ocupação Contestado é resultado de mais uma ação social do Sindifisco/SC, que comprou e doou 207 kits escolares para as crianças matriculadas no Ensino Fundamental (1º ao 9º ano). Em cada mochila havia caderno, papel A4, caixa de lápis de cor, jogo de canetinha, lápis, caneta, tesoura, cola, borracha, corretivo, apontador e estojo (os itens foram disponibilizados de acordo com a solicitação de cada projeto/escola).

Dos 207 kits, 30 foram doados ao Projeto Mochila Solidária (Mont Serrat) e os outros 177 para o Projeto Voluntários do Bem, beneficiando as comunidades de Monte Cristo, Morro do Quilombo e Contestado (outras entregas pontuais de kits também foram feitas nas rua Manaus, em Serraria, pela voluntária Marli Pessoa Rosa). “É uma satisfação poder ajudar. Acredito que um gesto em favor de uma educação com melhores condições pode despertar um interesse maior nos pequenos, para que no futuro essas crianças tenham mais possibilidades. Agradeço aos nossos parceiros e a cada um que colaborou com essa ação do bem”, disse o presidente do Sindifisco/SC, auditor fiscal José Antônio Farenzena, o Zeca.

Diretor de Relações Parlamentares e Institucionais do Sindifisco/SC, o auditor fiscal Eduardo Lobo foi um dos idealizadores da ação social e acompanhou pessoalmente a entrega dos kits. Ao conversar com mães e crianças da Ocupação, ressaltou a importância de incentivar as crianças e os adolescentes a frequentarem a escola. “É gratificante ver a felicidade das crianças com suas mochilas novinhas e saber que aquele material escolar é um grande incentivo para que cada um deles se mantenha na escola, estude e tenha a oportunidade de ter um futuro melhor”, disse.

Voluntariado – “Somos voluntários, mas atrás de cada um de nós há outros tantos; uma salva de palmas para o Sindifisco”, disse a voluntária Andrea Campos Galletti, uma das coordenadoras do Projeto Voluntários do Bem. Qualquer doação é bem-vinda para o projeto, que hoje atua em diversas frentes (material escolar, cestas básicas e enxovais para bebês). O trabalho é custeado com recursos dos próprios voluntários e doações de pessoas físicas e jurídicas – para conhecer mais, acesse o perfil @voluntarios.dobemsc no Instagram.

Agradecimentos – “Eu não sei nem como agradecer, não teria como comprar três mochilas novinhas, cadernos, lápis de cor”, disse a desempregada Maira Teixeira, 33 anos, mãe de três filhos e que está grávida de quatro meses. Logo no início da pandemia, a estoquista perdeu o emprego. Recentemente, conseguiu um trabalho temporário, mas não teve o contrato renovado quando souberam da gravidez. O filho Joaquim, de 11 anos, foi o primeiro a receber o kit escolar. O garoto está matriculado na 6ª série do Ensino Fundamental e voltou para a escola poucas horas depois de ganhar a mochila novinha.

Quem também voltou para a escola de kit escolar novo foi a pequena Ana Luíza, 7 anos, que encantou a todos com seu sorriso e alegria enquanto aguardava na fila. Ao lado da mãe, a desempregada Elizabete Pereira da Silva, 34 anos, a menina garantiu que é uma boa aluna e que será ainda mais estudiosa na 2ª série do CEI Araucária (São José). Os outros dois irmãos dela também receberam os kits do Sindifisco/SC e voltam para a escola em 14 de fevereiro.

DSC_6440 (800x533) DSC_6362 (800x533)DSC_6356 (800x533) DSC_6370 (800x533) DSC_6390 (800x533) DSC_6394 (800x533) DSC_6403 (800x533) DSC_6418 (800x533) DSC_6424 (800x533) DSC_6427 (800x533) DSC_6430 (800x533) DSC_6433 (800x533)

ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO DO SINDIFISCO/SC