Notícias

Compartilhe:

A escolha da empresa CTIL Logística para operar temporariamente o Porto de Itajaí em seleção simplificada realizada nesta segunda-feira preocupa o setor produtivo usuário do porto. Conforme fonte da coluna, seria melhor aguardar o leilão de privatização em dezembro, para que o vencedor decida se pode assumir em janeiro porque o atual contrato com a APM Terminals se encerra em dezembro.

Entre as preocupações estão o fato de um operador temporário ser visto com desconfiança pelo mercado e também de a empresa vencedora da seleção simplificada não ter experiência em operação com contêineres. Essa fase de transição com um operador temporário gera insegurança para exportadores e importadores.

A prefeitura informou em seu portal que o próximo passo é o encaminhamento para análise da Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq). A agência tem 30 dias para analisar se a CTIL tem condições de operar. O município argumenta que esse processo de escolha de um operador temporário é uma obrigação legal.

O governo federal prevê que o leilão será realizado em dezembro. Pelo porte do Porto de Itajaí, segundo fontes do mercado, grandes operadores portuários estão interessados e vão disputar o certame. 

Via NSCTotal – Coluna Estela Benetti