Notícias

RestaurantesMarcoFaveroARBBD

Compartilhe:

Mais afetado pela pandemia, setor de serviços, em Santa Catarina, encerrou 2020 com queda de 4% em volume frente ao ano anterior e, em receita nominal, teve recuo de 3,2%. Os dados integram a Pesquisa Mensal de Serviços (PMS) do IBGE, divulgada nesta quinta-feira. Mostram que SC foi melhor do que a média nacional, que teve recuo de 7,8% em volume e 7,1% em receita nominal, respectivamente. No mês de dezembro, em SC, o setor teve alta de 0,1% frente ao mês anterior e cresceu 4,3% em relação a dezembro de 2019.

No setor de turismo, que foi o que mais sofreu pelo isolamento social, Santa Catarina conseguiu o resultado menos pior do Brasil em 2020: -30,6% em volume. Na sequência veio o Rio de Janeiro com recuo de 30,9%. São Paulo caiu 40,9%, Rio Grande do Sul 43,3% e o Distrito Federal ficou na lanterna com recuo de 44,2%. Em dezembro, o setor, em SC, teve queda de -3,9% frente ao mês anterior e de 31,8% na comparação com o mesmo período do ano passado, apurou o IBGE.

No ano, fecharam em alta no Estado os serviços profissionais, administrativos e complementares (11%) e outros serviços (0,1%). Os serviços para as famílias caíram 26,6%, informação e comunicação tiveram retração de 6,1%, e transportes e Correios recuaram 1,7%.

Após registrar, em nível nacional, o pior desempenho da série histórica, o setor começou o novo ano com um cenário ainda mais difícil no Brasil. As principais atividades do verão não podem acontecer em função da pandemia – praias e Carnaval – e ainda não se sabe quando a vacinação avançará o suficiente para o setor trabalhar mais normal. Além disso, o auxílio emergencial deste ano, que deve ser definido em breve, será em valores muito menores. Pelo ritmo das vacinas, o setor terá atividade melhor no quarto trimestre do ano.

O pior resultado foi o do setor de turismo pelo fato de ter sido o que menos trabalhou em função da necessidade de isolamento social.

Via NSCTotal – Coluna Estela Benetti