Notícias

Compartilhe:

Embarques somaram US$ 10,3 bilhões no período.

O ano de 2021 encerrou com recorde para o comércio exterior catarinense, segundo informações do Observatório FIESC. Com avanço de 26,6% frente a 2020, as exportações somaram US$ 10,3 bilhões no período. Já as importações tiveram uma alta de 54,9% ante o ano anterior, atingindo US$ 24,9 bilhões. Tanto as exportações quanto as importações registraram o melhor desempenho da série histórica iniciada em 1997, conforme análise do Observatório FIESC. Os números refletem o alto grau de internacionalização da economia catarinense.

“A indústria catarinense tem destaque internacional em diversas frentes, o que reforça a qualidade e a eficiência das nossas empresas. O ano encerrou com bons resultados que consolidam o momento de retomada e uma corrente de comércio internacional em patamares pré-pandemia”, afirma o presidente da FIESC, Mario Cezar de Aguiar.

>> Para mais notícias, siga o SCC10 no TwitterInstagram e Facebook.

Recorde nos embarques de carne suína e alta em motores

De acordo com o Observatório FIESC, as vendas de carnes de aves e suína mantiveram a liderança na pauta exportadora catarinense. Com US$ 2,9 bilhões em produtos embarcados, elevação de 22,8% em relação a 2020, o setor se beneficiou por um cenário internacional mais favorável, sobretudo para a carne suína, que alcançou recorde em 2021 em volume e valores negociados com o exterior.

De acordo com Maicon Luiz Brand, economista do Observatório FIESC, a demanda da China, que ainda sentiu os efeitos de um surto de peste suína, ajuda a explicar o crescimento dos embarques catarinenses. Santa Catarina é líder no país na exportação de carne suína.

Outro ponto positivo para as exportações catarinenses em 2021 foi o crescimento nos embarques de motores elétricos e partes de motor. Juntos, os produtos tiveram expansão de 40,7% em valor exportado na comparação com 2020.

Em 2021, os Estados Unidos se tornaram o principal destino das exportações catarinenses, com 18,8% de participação, ocupando o espaço que em 2020 era da China. Os produtos de Madeira e Móveis foram os mais demandados pelo país, representando 53,8% do total exportado. Na sequência, estão os produtos da Indústria Automotiva, que representaram 12,2%. Na comparação com 2020, as exportações catarinenses para os Estados Unidos cresceram 43,8%.

>> Para mais notícias, siga o SCC10 no TwitterInstagram e Facebook.

Importações têm recorde desde 1997

A desvalorização do real frente ao dólar e a demanda por insumos para a indústria ajudam a explicar o recorde nas importações catarinenses em 2021. Entre os principais itens importados estão o cobre refinado, com alta de 75,9%, revestimentos de ferros laminados planos (+143,4%), polímeros de etileno (+61,9%), fertilizantes nitrogenados (+73,7%) e semicondutores (+94,8%).

Outro destaque foi o crescimento de 86,8% na importação de automóveis por Santa Catarina. Com a redução da produção na Indústria Automotiva brasileira, que vem sofrendo abalos com a desestruturação das cadeias produtivas globais, tornou-se necessária a ampliação da importação de veículos de outros países, principalmente da Argentina, responsável por 46,6% das vendas para o estado catarinense no ano passado.

Via SCC10