Notícias

Compartilhe:

Dos 40 deputados eleitos neste domingo (2) para a Assembleia Legislativa, 16 deles conquistaram seu primeiro mandato para o Legislativo catarinense. Os outros 24 foram reeleitos para mais um mandato.

Dos 16 novatos, dois já exerceram mandato como suplentes na Alesc: Carlos Humberto (PL), por 60 dias em 2020, e Pepê Collaço (PP), que esteve na Assembleia também por 60 dias neste ano.

Os outros 14 estarão pela primeira vez no Parlamento estadual. Quatro deles nunca tiveram outro cargo eletivo, ou seja, estarão pela primeira vez no exercício de um mandato: Mario Motta (PSD), Egídio Ferrari (PTB), Matheus Cadorin (Novo) e Sérgio Guimarães (União).

Partidos
Treze partidos conquistaram vaga para a Assembleia em 2023. Este número é recorde na história do Parlamento estadual, e supera a marca anterior, que era de 12, registrada nas eleições de 2018.

O PL terá a maior bancada, com 11 cadeiras. É a primeira vez na história da Alesc que o PL elege o maior número de deputados, posição que, desde 1982, foi ocupada apenas por MDB e PP.

O MDB elegeu o segundo maior número de deputados: seis, ao todo. O PT conquistou quatro vagas e terá a terceira maior bancada.

Psol e Novo elegeram, pela primeira vez, deputados para a Alesc. Os dois partidos já tiveram parlamentares na Casa, mas eles foram eleitos por outros partidos e, já no exercício do mandato, migraram para Psol e Novo.

Partidos que elegeram deputados para a próxima legislatura da Assembleia:

  • PL – 11 cadeiras
  • MDB – 6 cadeiras
  • PT – 4 cadeiras
  • Podemos – 3 cadeiras
  • PP – 3 cadeiras
  • PSD – 3 cadeiras
  • União Brasil – 3 cadeiras
  • PSDB – 2 cadeiras
  • Novo – 1 cadeira
  • PDT – 1 cadeira
  • Psol – 1 cadeira
  • PTB – 1 cadeira
  • Republicanos – 1 cadeira

 

Via Alesc