Notícias

Compartilhe:

Economista Marcos Cintra defende engavetar projetos e começar proposta do zero; votação da PEC 110 no Senado foi adiada novamente nesta quarta-feira

A reforma tributária apresentada pela Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 110/2019, que tramita no Senado, aumenta a carga sobre a sociedade e deixa o atual sistema ainda mais complexo, segundo o ex-secretário da Receita Federal, Marcos Cintra. “É um projeto que não está maduro e tem vários defeitos técnicos”, afirmou o economista nesta quarta-feira, 6, em entrevista ao jornal Headline News da Jovem Pan News. A votação do projeto na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado foi novamente cancelada nesta manhã por falta de quórum. Como medida central, a PEC define a união dos tributos entre o Imposto de Valor Agregado Federal e Subnacional.

O ex-auxiliar de Guedes voltou a defender a criação de um imposto aos moldes da antiga Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF), tributo extinto pelo governo federal em 2007. Segundo Cintra, o alargamento da base tributária proposta pelo projeto iria refletir na redução da taxa para todos. A volta da medida gerou polêmica nos primeiros meses do governo de Jair Bolsonaro (PL) e culminou com a demissão de Cintra da equipe econômica em setembro de 2019. “É algo bastante criticado, mas precisamos colocar o preconceito de lado e analisar com seriedade”, afirmou.

Via Jovem Pam