Notícias

Compartilhe:

O preço médio do litro da gasolina no Brasil registrou a quarta queda consecutiva, ajudada nas últimas duas semanas pela redução do ICMS para o teto de 17%, segundo dados da ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis). O preço do combustível caiu em média 6,5% na semana de 10 a 16 de julho, para R$ 6,07 0 litro, sendo o mais caro (R$ 8,10) encontrado em Tefé, no Amazonas, e o mais barato (RS 5,15) em Macapá, no Amapá.

Já o diesel, segundo os dados da ANP, teve ligeira queda de preço, de 0,5% no caso da versão comum e de 0,6% no diesel S1O, o menos poluente e o mais usado no Brasil. Em média, o diesel está sendo comercializado no Brasil a RS 7,48 o litro, contra R$ 7,52 na semana anterior.

Apesar da queda, o preço da gasolina continua acima do praticado no mercado internacional, como ocorreu em toda a semana passada.

Para atingir a paridade poderia haver uma redução de RS 0,17 por litro segundo a Abicom (Associação Brasileira de Importadores de Combustíveis).

Inflação medida pelo IGP-10 sobe 0,60%

O IGP-1O (índice Geral de Preços-10) subiu 0,60% em julho, percentual um pouco abaixo da alta do mês anterior, quando alcançou 0,74%. No ano, o indicador acumula avanço de 9,18% e de 10,87% em 12 meses. Em julho do ano passado, a elevação foi bem menor, ficou em 0,18% e o acumulado de 12 meses chegou a 34,61%.

ATIVIDADE ECONÓMICA CAI 0,8% EM MAIO

O monitor do PIB (Produto Interno Bruto), apurado pelo Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas e divulgado ontem, indicou queda de 0,8% na economia brasileira em maio deste ano, comparativamente a abril, considerando os dados com ajuste sazonal. A retração ocorreu depois de três meses consecutivos de expansão.

Na comparação com maio de 2021, a atividade econômica cresceu 4,4%.

Projeções

O mercado financeiro reduziu, pela terceira semana consecutiva, a expectativa para os índices inflacionários projetados para 2022. De acordo com o Boletim Focus, divulgado ontem, em Brasília, pelo Banco Central, o ano deve fechar com o IPCA (índice de Preços ao Consumidor Amplo) em 7,54%. O IPCA é a inflação oficial do país. Na semana passada, a previsão era de uma inflação de 7,67%; e há quatro semanas, as projeções estavam em 8,27%.

 

Via Coluna Mercado NDmais – Edição impressa de 19/07/22