Notícias

Compartilhe:

Em quantidade, o número passou de 11,37 milhões para 4,14 milhões de brasileiros no período. Ou seja, 7,23 milhões saíram da situação de extrema pobreza

Um dos temas centrais das eleições de 2022, as ações de combate à miséria no Brasil apresentaram melhora nos indicadores mundiais. Relatório do Banco Mundial mostra que caiu de 11,37 milhões para 4,14 milhões de brasileiros que vivem em extrema pobreza entre os anos de 2019 e 2020. As pessoas que viviam nesta situação eram 5,4% da população em 2019, caindo para 1,9% em 2020, o que corresponde a uma redução de 3,5 pontos percentuais.

O Banco Mundial considera em extrema pobreza as pessoas que recebem até US$ 2,15 por dia. Entre os principais fatores para a queda nos números está o acesso ao auxílio emergencial, benefício concedido durante a pandemia da covid-19. A íntegra do documento pode ser conferida aqui.

América Latina

Entre os anos de 2016 a 2020, o Brasil também foi o país da América Latina que mais reduziu a extrema pobreza, caindo de 4,7% para 1,9% o porcentual de pessoas que vivem com menos de US$ 2,15 por dia.

O Paraguai vem em segundo, passando de 1% para 0,8% — uma queda de 0,2 ponto percentual. Atualmente, a maior taxa de extrema pobreza no continente é a da Colômbia, com 10,8%, seguido por Peru (5,8%) e Bolívia (3,1%).

Via Correio Braziliense