Notícias

Compartilhe:

Um dos pedidos do governador eleito Jorginho Mello (PL) ao novo secretário de Estado da Fazenda, Cleverson Siewert, é uma análise sobre a necessidade de incluir emendas ao orçamento do Estado de 2023 para cumprir compromissos assumidos em campanha. Cleverson disse que esse estudo será feito quando se juntar à equipe de transição, nos próximos dias.

– Esse foi um pedido que o governador me fez para que a gente pudesse olhar um pouco esse tema. Para ver se o encaminhamento que, por hora, ele está pretendendo, é o mais adequado.  Se a gente deixa para o ano que vem ou tenta articular ainda alguma coisa este ano – afirmou.

O governador Carlos Moisés ofereceu essa possibilidade à equipe de transição do novo governo. Contudo, até o momento, a opção foi não fazer alteração na proposta orçamentária que está em análise na Assembleia Legislativa (Alesc).

Ex-secretário da Fazenda e ex-presidente da Celesc, o engenheiro joinvilense foi um dos 11 nomes do secretariado do novo governo, anunciados nesta segunda-feira. Revelou que foi convidado por Jorginho Mello para a função dia 24 de novembro e deu resposta positiva na última sexta-feira. Por isso vai precisar de alguns dias ainda para se desligar do cargo de CEO do Ascensus Group, função que ocupa no setor privado.

Além do orçamento, Cleverson informou que vai estudar outros dois temas importantes que evolvem a pasta. Um é o impacto da redução da arrecadação devido à mudança das alíquotas de ICMS para combustíveis, energia e telecomunicações. O outro é a situação dos incentivos fiscais no Estado.

– Um pedido do governador Jorginho é olhar para os incentivos fiscais, olhar para o que acontece em Santa Catarina, para que a gente possa ser inteligente, não descontruir, mas construir coisas ainda mais adequadas, lembrando das nossas vocações. Somos um estado com cinco portos, temos o setor de tecnologia muito forte.

Mesmo tendo uma balança comercial negativa, temos no comércio internacional algo importante que agrega. Temos indústrias extremamente profissionalizadas, temos comércio e serviços bastante fortes. A composição do PIB é bastante eclética, bastante diversa. São potencialidades ímpares que o nosso estado tem e poderemos colocar ainda mais em evidência – explicou o novo secretário da Fazenda.

Via NSCTotal – Coluna Estela Benetti