Notícias

Compartilhe:

Governador eleito anunciou os primeiros 11 nomes esta semana, mas ainda tem áreas estratégicas para definir

O governador eleito Jorginho Mello (PL) anunciou nesta semana os primeiros 11 secretários do futuro governo, mas ainda precisa definir o nome dos titulares de pelo menos outras 12 pastas consideradas de primeiro escalão na administração direta em Santa Catarina. No primeiro anúncio, o futuro governador afirmou que pretende confirmar os demais nomes até o fim da próxima semana.

O nome mais estratégico é o do novo secretário da Casa Civil, responsável por fazer a interligação entre as secretarias e a articulação do governo com deputados estaduais, por exemplo. O nome do filho do governador eleito, Filipe Mello, era cogitado nas últimas semanas, mas a colunista do NSC Total, Dagmara Spautz, afirmou que a pasta não deve ficar com ele.

Além da Casa Civil, a Secretaria de Segurança Pública também precisa ter o nome confirmado por Jorginho Mello. A pasta voltará ao modelo anterior da gestão, com um secretário indicado de forma definitiva. No governo Moisés, foi criado um colegiado em que o comando da pasta foi dividido ao longo dos quatro anos de governo entre o comandante-geral da PM, do Corpo de Bombeiros, da Polícia Civil e do IGP — atual Polícia Científica.

Nas últimas semanas, o nome do diretor da Polícia Rodoviária Federal (PRF) Silvinei Vasques foi especulado como possível titular da pasta da segurança, em atendimento a um possível pedido do presidente Jair Bolsonaro. Fontes próximas ao governador, no entanto, descartam a possibilidade de ser ele o nome para a Segurança Pública em SC.

Restam ainda ao governador eleito a indicação de pastas de grande orçamento como Infraestrutura e a pasta de Ciência e Tecnologia, que será criada no novo governo. Para esta pasta, Jorginho Mello anunciou ainda na campanha que a indicação caberá à Associação Catarinense de Tecnologia (Acate). O colunista da NSC Renato Igor publicou esta semana que a entidade teria sugerido o advogado Marcelo Fett (MDB), mas que o nome teria sofrido resistência no entorno do futuro governador.

Além das secretarias, a Jorginho Mello caberão ainda as indicações de autarquias, fundações e órgãos da administração indireta, que também provocam disputa de espaço no governo. Algumas das áreas mais conhecidas são Celesc, Casan, Badesc, Cidasc, Detran, Epagri, Fapesc, Fesporte, IMA, Santur e SCPar.

Secretarias com nomes a definir

Secretaria da Casa Civil
Controladoria-Geral do Estado (CGE)
Secretaria de Estado da Comunicação (Secom)
Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável (SDE)
Secretaria de Estado do Desenvolvimento Social (SDS)
Secretaria de Estado da Infraestrutura e Mobilidade (SIE)
Secretaria de Estado da Administração Prisional e Socioeducativa (SAP)
Secretaria de Segurança Pública
Secretaria de Ciência e Tecnologia
Secretaria de Portos e Aeroportos
Secretaria Executiva de Assuntos Internacionais
Secretaria Executiva do Meio Ambiente

Via Diário Catarinense