Notícias

Compartilhe:

Com um crescimento de 10.3%, a produção industrial de Santa Catarina superou, com folga, o dobro da média nacional, de 4,3%, representando o segundo maior crescimento entre os 14 estados pesquisados, atrás apenas do Espírito Santo. Os dados divulgados nesta semana são do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), referentes ao acumulado de 2021.

“São números que mostram a força da nossa economia. Mesmo com os desafios gerados pela pandemia, nosso estado continua em ritmo forte de desenvolvimento econômico. A cada resultado, vemos que Santa Catarina está no caminho certo. Somos um estado que sempre supera as expectativas”, ressaltou o governador Carlos Moisés.

“O setor industrial é fundamental para o desenvolvimento econômico dos estados. É fato histórico que países com força neste setor mostraram mais crescimento, o que se replica nas esferas regionais. Portanto, os números, mais uma vez, reforçam a importância e a competitividade de Santa Catarina no cenário nacional. Seguimos empenhados em ações concretas para o fortalecimento da economia neste momento tão crucial aos catarinenses no combate à pandemia e na saúde das pessoas”, destaca o secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável, Luciano Buligon.

Setores que impulsionaram economia

O setor metalúrgico foi o que mais impulsionou o crescimento da produção indústria de 2021 com uma expansão significativa de +42,3%, seguido pelo automobilístico (+ 39,2%) e o de máquinas e equipamentos (+22,5%). O segmento do vestuário e acessórios (+19,1%) e de têxteis (+14,5%) também tiveram crescimento destacado. O único segmento que retraiu foi o de produtos alimentícios (-10,4%).

Destaques em 2021

O ano de 2021 foi marcado por um crescimento também no setor de serviços e no comércio varejista em Santa Catarina. O volume de serviços produzidos em Santa Catarina teve crescimento de 14,7% em 2021, quando a média brasileira variou 10,9%. Foi o quinto maior crescimento entre todos os estados, sendo o maior do Centro-Sul do País. Além disso, a variação do volume de vendas do comércio varejista ampliado cresceu 8,6%, frente a uma média nacional de 4,5%.

Para o economista da SDE, Paulo Zoldan, a economia de Santa Catarina vive um ciclo virtuoso. “Os dados consolidados de 2021 demostram um crescimento robusto e difuso entre os mais diversos setores e segmentos da economia, confirmando a competitividade do Estado na comparação com os demais estados brasileiros. Além da produção econômica voltada para o mercado interno, o Estado teve desempenho positivo e acima da média no que se refere também ao comércio exterior. Esse resultado deverá se refletir na expansão do PIB, que terá uma das maiores taxas de crescimento do país e também na geração de postos de trabalho. A economia estadual teve o maior saldo de empregos formais da série histórica em 2021 e manteve a menor taxa de desemprego do Brasil”, avalia.

Via Governo do Estado de SC