Notícias

Porto de Itajaí - Diorgenes Pandini - NSC Total_0

Compartilhe:

As análises da equipe econômica do Estado divulgadas no Boletim Econômico de Janeiro, coordenado pelo economista Paulo Zoldan, apontam que a atividade econômica de Santa Catarina teve alta de 3,8% em período de 12 meses até setembro do ano passado. Esse indicador teve uma pequena desaceleração frente ao trimestre anterior encerrado em junho, quando o crescimento anualizado ficou em 3,9%.

Mesmo assim, o índice se manteve acima do crescimento de 3,6% apurado em 2018 na mesma análise e ficou bem acima do PIB brasileiro, estimado pelo IBGE para o mesmo período. 

Em Santa Catarina, somente três importantes setores econômicos não cresceram no período, até setembro passado: a agropecuária, a indústria têxtil e de vestuário e os serviços prestados às empresas e às famílias.

Os demais cresceram, embora com ritmo um pouco menor. Essa estimativa de PIB do Estado tem ficado um pouco maior do que o PIB real, mas não tanto. No último dado oficial de PIB estadual divulgado pelo IBGE, de 2017, a economia do Estado cresceu 3,95% enquanto a equipe de economistas do Estado estimou alta de 4,2%.

Outra pesquisa, a do Banco Central sobre a atividade econômica, o IBCR, tem ficado quase sempre abaixo da alta real do PIB. Ela apurou que Santa Catarina 2,54% durante todo o ano de 2019.

A exemplo da maioria dos Estados, SC teve queda no mês de dezembro frente a novembro, em série com ajuste sazonal. Essa retração ficou em 0,62%, mas na comparação com o mesmo mês do ano anterior cresceu 0,84%.

Segundo esse indicador, Santa Catarina conquistou o terceiro maior crescimento do país em 2019, atrás do Amazonas, que teve alta de 4,61% e de São Paulo, que cresceu 2,75%.

Pesquisa da Abrasel

A pesquisa realizada pela Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel-SC) sobre o desempenho do setor no litoral catarinense durante a temporada de verão 2019/2020 apurou que 68% dos estabelecimentos tiveram movimento igual ou inferior ao mesmo período de 2019. No primeiro levantamento feito no início de janeiro que incluiu mais a virada do ano, 55% tinham registrado movimento melhor.

O resultado ficou mais parecido com o da temporada anterior, quando 74% dos bares e restaurantes tiveram movimento igual ou inferior ao período anterior e preocupou empresários do setor. O levantamento apurou também que a maioria registrou mais visitas de turistas brasileiros e apenas 35% tiveram mais visitas de estrangeiros.

Outra pesquisa, sobre manifestações de turistas em várias plataformas na internet, concluiu que os clientes do setor deram nota 87,85 para a qualidade dos serviços. É um resultado elevado, que ajuda a atrair turistas.

Esses dados da Abrasel mostram que os consumidores estão com pouca renda para viajar e consumir, mas sinaliza também que o Estado e as cidades podem fazer campanhas para atrair mais visitantes. Outros estados fizeram e foram melhor no setor. Um exemplo é São Paulo.

Via NSCTotal – Coluna Estela Benetti