Notícias

Compartilhe:

Um dos assuntos mais abordados no momento, as “fake news”, ou seja, as notícias falsas, foi o tema da Jornada de Debate promovida  pela Associação de Diários do Interior (ADI-SC), nesta quinta-feira, 24, em Florianópolis. A abertura oficial do evento “Fake News versus True News, o valor do jornal”, contou com a presença do governador Eduardo Pinho Moreira e do secretário de Estado da Comunicação, Gonzalo Pereira.

“O evento de hoje visa exatamente a  correção de grandes equívocos que são divulgados. A responsabilidade na notícia é fundamental. E a ADI-SC busca neste congresso conciliar essas situações com a realidade. É preciso mostrar para a população como distinguir as notícias verdadeiras das falsas. E, como este também é um ano de eleições, esperamos que a Justiça Eleitoral puna de forma exemplar aqueles que usarem deste artifício desleal e que traz grandes consequências”, afirmou o governador.

Eduardo Pinho Moreira destacou ainda que acompanha as notícias divulgadas em todos os jornais de Santa Catarina: “que todos continuem com o trabalho sempre voltado para as notícias verdadeiras e que possamos com as informações de vocês tornarem um estado cada vez melhor.”

O presidente da ADI-SC, Ámer Félix Ribeiro, enfatizou que é preciso agir e se organizar para criar estratégias para uma comunicação que proteja cada vez mais a verdade.  “Somos todos os dias cobrados sobre o  valor das notícias, por causa da velocidade das informações e das transformações diárias da nossa sociedade. É nossa obrigação reforçar nosso papel social perante a divulgação de tantos fatos inverídicos. O combate às fake news é uma obrigação diária e que faz parte do nosso papel, ou seja, pela manutenção de nossa credibilidade”.

A comunicação no Governo de SC

O secretário do Estado de Comunicação, Gonzalo Pereira, salientou  que as empresas oficialmente estabelecidas e que representam de fato a comunicação organizada precisam ser valorizadas. “Buscamos manter um relacionamento produtivo e efetivo com as empresas de comunicação. Elas são certificadoras da verdade e qualidade. Elas não são difusoras das fake news, pelo contrário, as combatem”.

Gonzalo explicou que por meio dos canais próprios de comunicação do Governo do Estado, especialmente pelas mídias sociais, também é buscado esclarecer, sempre que existe uma informação que precisa ser contestada, para que o cidadão receba a notícia de qualidade e credibilidade de tudo que o governo faz.

“Toda a política de Comunicação do Estado tem o cidadão como cliente principal. Para eles devemos satisfação de tudo o que é feito e informar onde são aplicados os recursos que o cidadão aporta no estado com os impostos”, finalizou.

 

Via SEFAZ/SC