Notícias

Compartilhe:

Relatório feito pela ONG mostra ainda que, pela primeira vez em 30 anos, riqueza extrema e pobreza extrema cresceram ao mesmo tempo

A parcela 1% mais rica do mundo ficou com quase dois terços de toda a riqueza gerada desde 2020. Esse grupo de super-ricos abocanhou cerca de US$ 42 trilhões — seis vezes mais dinheiro que 90% da população global (pouco mais de sete bilhões de pessoas) conseguiu no mesmo período.

Na última década, esse mesmo 1% ficou com cerca de metade de toda a riqueza criada globalmente. É o que revela o novo relatório da Oxfam, que será lançado nesta segunda-feira no Fórum Econômico Mundial, realizado em Davos, na Suíça.

A máxima de que “o de cima sobe, e o de baixo desce” nunca foi tão real. Pela primeira vez em 30 anos, a riqueza extrema e a pobreza extrema cresceram ao mesmo tempo.

O estudo da Oxfam, intitulado “A sobrevivência do mais rico – por que é preciso tributar os super-ricos agora para combater as desigualdades”, defende que haja um amplo e sistêmico aumento na tributação dos bilionários.

Fonte: O Globo – Via Fenafisco