Notícias

Compartilhe:

Carnes de aves e suínos seguem entre os produtos mais exportados do Estado

O fluxo de comércio internacional de Santa Catarina somou US$ 41 bilhões em 2022, o maior valor da história. As exportações aumentaram 16,2% e as importações tiveram incremento de 16,3% comparadas a 2021. Os dados foram divulgados pela Federação das Indústria do Estado (Fiesc).

As exportações de Santa Catarina somaram US$ 12 bilhões no ano passado. A média mensal entre janeiro e dezembro foi de US$ 1 bilhão, confirmando a expectativa para o ano.

— O recorde de exportações é reflexo de uma combinação de fatores. Entre eles, a valorização internacional dos nossos produtos, a diversificação de parceiros comerciais, a expansão das vendas de itens intensivos em tecnologia, com alto valor agregado e o nível de competitividade da indústria catarinense — destaca o presidente da Fiesc, Mario Cezar de Aguiar.

As carnes de aves e suínos seguem entre os produtos mais exportados do Estado, somando US$ 1,9 bi e US$ 1,3 bi, respectivamente. Em seguida, aparecem motores elétricos (US$ 711,9 mi), soja (US$ 643,7 mi) e partes de motor (US$ 545,7 mi).

Em relação aos principais destinos das exportações catarinenses, os Estados Unidos seguem como o maior consumidor dos produtos do Estado (US$ 2,1 bilhões), seguidos pela China (US$ 1,6 bi), Argentina (US$ 820,1 mi) e Chile (US$ 605,1 mi).

Enquanto isso, as importações chegaram a US$ 29 bilhões no ano passado. De acordo com o presidente da Fiesc, embora o Estado tenha saldo negativo na balança comercial, por conta do grande volume de compras internacionais, as importações são positivas para Santa Catarina. Elas movimentam os portos e a economia de SC, criando empregos e gerando impostos.

O cobre refinado foi o produto que mais de se destacou nas compras internacionais catarinenses (US$ 1,2 bi), acompanhado pelos semicondutores (US$ 855,4 mi), fertilizantes nitrogenados (US$ 827,9 mi), revestimento de ferros laminados planos (US$ 745,9 mi) e polímeros de etileno (US$ 605,7 mi).

Entre os principais parceiros comerciais do estado, a China segue ocupando a liderança, com montante de US$ 11,5 bilhões negociados em 2022. Em seguida vem Chile (US$ 1,9 bi), Estados Unidos (US$ 1,8 bi), Argentina (US$ 1,8 bi) e Alemanha (US$ 1,1 bi).

 

via Diário Catarinense