Notícias

Compartilhe:

Malhas: sob a ótica contábil

As parcerias entre fisco e contabilidade há décadas se fortalecem ao compartilharem informações sobre o monitoramento das malhas fiscais. A resolutividade se acentua a cada operação bem-sucedida. Percebe-se, na comunicação, o grau de importância alcançado. Há situações corriqueiras e outras que chamam a atenção pela forma diferenciada de abordagem, no outro lado da linha. Não se trata de mero comparativo, afinal são profissionais da mais alta capacidade com reconhecimento além-fronteiras, mas, em conversa, por telefone, um relato sob autorização e, por solicitação, a omissão do nome, merece registro.

Diz o centrado profissional, esbanjando cidadania: “O papel do contador é sempre orientar os seus clientes (contribuintes), de forma a seguirem os preceitos legais estabelecidos, com vistas a assegurar a exatidão das informações contábeis, fiscais e o cumprimento das obrigações acessórias, desenvolvendo assim um papel que vai além destes citados anteriormente. Mas, sobretudo, assegurando ao agente fiscalizador e seus representados (a população) que tais recursos serão efetivamente recolhidos e posteriormente retornados à sociedade”.

E vai além 
“O aplicativo de malhas fiscais, na visão do meu escritório de contabilidade, trouxe a possibilidade de resolução antecipada de problemas relacionados à escrituração fiscal. Para o escritório, cujo desenvolvimento dos trabalhos se dá no próprio ERP (da sigla inglesa Enterprise Resource Planning, que ao pé da letra se trata de software que integra os dados e processos de uma organização em um único sistema) e com o cliente (contribuinte), foi fomentada a melhoria nos procedimentos de auditoria interna, de modo a antecipar aos departamentos fiscais os erros cometidos na escrituração de notas fiscais”.

Luzes do Semáforo
O escritório utiliza um sistema de comparação com três regras básicas usando as luzes do semáforo: vermelho, erro grave; verde, situação tranquila; e amarelo, possível problema. Segundo o contador, com riqueza de detalhes, é repassado aos clientes, a cada dez dias, um relatório de auditoria para a conferência. E os resultados começam a aparecer reduzindo erros e, consequentemente, os riscos, estancando as falhas.

Concluindo 
“A partir de outubro de 2020 o volume de inconsistência foi substancialmente resolvido”, diz. Ressalta, ainda, o profissional que “o modelo usado é de contabilidade interna, em que há dependência do próprio cliente no registro dos documentos fiscais e o trabalho da contabilidade será o procedimento de auditoria”. Mais uma prova de que as parcerias, quando bem balizadas, como as das “malhas fiscais”, trazem benefícios abrangentes.

Simples Nacional
Encerra no dia 29, sexta-feira, o prazo para as empresas optarem pelo Simples Nacional. Lembrando que antes precisam regularizar todas as pendências de ordem tributária.

Malhas fiscais
Na quinta-feira (28), o auditor fiscal Huelinton Pickler fará o lançamento da malha cadastral, a partir da qual será possível identificar o contribuinte que está com processo de cancelamento de inscrição estadual. Na próxima semana será a vez do lançamento da malha sobre omissão de registro de documento fiscal relativo à aquisição de mercadoria, bem e serviço.

Legado de Martins
O auditor fiscal Luiz Alberto Martins, que costumava dizer: “Ninguém é melhor do que ninguém”, pediu que em seu velório os recursos das flores fossem transformados em cestas básicas para famílias carentes. O belo gesto foi atendido. Que descanse em paz!

Refletindo
“Gratidão a Deus, sobretudo, pelo dom da vida”. Uma ótima semana!

Por Pedro Hermínio Maria – Auditor Fiscal da Receita Estadual