Notícias

Compartilhe:

Autoridades sanitárias do governo do Canadá habilitaram mais duas plantas de carne suína de Santa Catarina para exportações ao país: são as unidades da Aurora Alimentos, de Joaçaba, e da Pamplona Alimentos, de Presidente Getúlio. Na semana passada, o Canadá habilitou a Aurora de Chapecó e duas unidades da Seara Alimentos, de Itapiranga e São Miguel do Oeste.

O mercado canadense para vendas de carne suína foi aberto em março deste ano pelo Brasil, numa visita da então ministra da Agricultura, Tereza Cristina, ao país. Até agora apenas frigoríficos de Santa Catarina foram habilitados porque o Estado é o único reconhecido mundialmente, nos últimos anos, como livre de febre aftosa sem vacinação. Outros estados conseguiram esse status, mas SC segue com preferência lá fora.

Embora seja um grande exportador, com uma média de 1,5 milhão de toneladas por ano (2021), o Canadá também importa carne suína, cerca de 250 mil toneladas anuais. Executivo de uma dessas empresas habilitadas informou para a coluna que o setor ainda não sabe que tipo de corte as empresas canadenses vão querer comprar do Brasil, nem tem quantidades estimadas. Isso será definido quando os negócios acontecerem.

Na opinião do presidente da Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), Ricardo Santin, as vendas para o Canadá podem desafogar um pouco o mercado brasileiro, que está com excesso de oferta no momento. Ele acredita que a demanda será por cortes nobres, de maior valor, como costela e barriga.

Para o presidente do Sindicato das Indústrias da Carne e Derivados do Estado de Santa Catarina (Sindicarne), José Antônio Ribas Júnior, a abertura do mercado canadense para o Brasil reforça a qualidade internacional produção de proteína do Estado. Segundo ele, é um reconhecimento à qualidade, segurança sanitária e competitividade da produção catarinense, fato que deve ser festejado pelo setor e pelo governo.

A expectativa das agroindústrias é de que as negociações de compra e venda comecem nos próximos dias. A produção de SC deve complementar a oferta de cortes mais consumidos no país da América do Norte. SC já exporta carne suína aos Estados Unidos desde novembro de 2014. Em 2013, SC iniciou as vendas para o Japão. São mercados que, a exemplo do Canadá, exigem área livre de aftosa sem vacinação.

Via NSCTotal – Coluna Estela Benetti