Notícias

Compartilhe:

Projeções do Boletim Focus, divulgado nesta segunda-feira pelo Banco Central, prevê inflação de 7,67%. Pelas estimativas, a inflação vai estourar o teto da meta tanto neste ano quanto em 2023

Pela segunda semana seguida, o mercado financeiro reduz a expectativa da inflação para 2022. De acordo com o Boletim Focus, divulgado nesta segunda-feira (11) pelo Banco Central, o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) deste ano deverá ficar em 7,67% . Os dados foram colhidos na semana passada, em pesquisa com mais de 100 instituições financeiras.

Foi a segunda redução seguida para a inflação deste ano desde quando o boletim voltou a ser divulgado, depois do fim da greve dos servidores do Banco Central.

A queda na estimativa coincide com a redução de impostos cobrados sobre itens essenciais, como combustíveis e energia elétrica, que têm peso importante na composição do IPCA, além de afetar indiretamente o preço de diversos produtos.

Com relação ao Produto Interno Bruto (PIB) , o Boletim Focus desta semana aumentou de 1,51% para 1,59% a previsão de crescimento. Há quatro semanas, o cálculo estava em 1,42%.

Para 2023 o PIB estimado ficou estável na comparação com a semana passada 0,5%. Há quatro semanas, estava em 0,55%.

Juros

Para a taxa básica de juros da economia, a Selic, o mercado manteve a previsão de encerrar o ano em 13,75%.

Atualmente, a Selic está em 13,25% ao ano, a maior desde dezembro de 2016. O Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central, que define a taxa, sinalizou uma nova alta em agosto, para 13,5% ou 13,75%, e a manutenção dos juros mais altos durante um período de tempo. Para 2023, o mercado espera que a taxa caia para 10,50%, mesma previsão do boletim anterior.

Via Correio Braziliense