Notícias

Compartilhe:

O mercado de trabalho de Blumenau sofreu o primeiro revés de 2022 em julho, mês em que houve mais demissões do que contratações na cidade. Dados divulgados nesta segunda-feira (29) pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério da Economia, mostram um saldo negativo de 332 empregos formais – com carteira assinada. Foi o pior resultado para o período dentre todos os 295 municípios de Santa Catarina.

O desempenho ruim fez Blumenau perder o posto de cidade que mais gerou novos empregos no Estado, título alcançado ao fim do primeiro semestre de 2022. O acumulado do ano ainda é positivo, com 6.247 postos de trabalho adicionais, mas agora é menor do que os números de Joinville (6.669) e Florianópolis (6.330), que criaram, respectivamente, 345 e 578 novas vagas em julho.

No caso de Blumenau, o indicador negativo foi influenciado pelos dois principais pilares da economia. A indústria fechou 275 vagas em julho, saldo puxado principalmente pelo segmento de fabricação de produtos têxteis, que enxugou 261 postos de trabalho.

Já o setor de serviços perdeu 171 vagas no geral. O resultado é creditado ao encerramento de contratos na administração pública, área que computou cerca de 300 demissões a mais do que contratações – outros segmentos do setor de serviços foram bem, reduzindo o prejuízo.

Em alta na cidade, a construção civil teve saldo positivo de 96 empregos em julho, enquanto o comércio acumulou 19 novas vagas. Já a agropecuária perdeu uma.

Via NSCTotal – Coluna Pedro Machado