Notícias

Compartilhe:

Fiscalização das malhas fiscais

Empresas que estavam sob monitoramento e acompanhamento por apresentarem inconsistências nas malhas fiscais referentes ao exercício de 2020, se não tomaram nenhuma providência, agora é aguardar a próxima etapa: a da fiscalização.
Não cabe discussão se o lapso foi do contribuinte ou do profissional da contabilidade. O que se tem certeza é de que tiveram tempo suficiente, com inúmeros contatos via chat e também das informações disponíveis, on-line, no SAT, a respeito das inconsistências a serem sanadas. De posse dos termos de início de fiscalização e os de ciência para assinatura, os auditores fiscais darão início aos trabalhos.

Milhões a arrecadar
Neste rol, encontram-se 7.466 empresas, totalizando 8.467 infrações fiscais, demonstrando que há contribuintes com mais de uma malha. Sacramentado o ato, cabe ao notificado os caminhos: defesa prévia, pagamento à vista ou parcelado, reclamação ou, simplesmente, ignorando. Sendo assim, assumirá as consequências geradas pelo ato. O montante estimado das inconsistências a ingressar nos cofres ultrapassa a casa dos R$ 110 milhões. Resolvendo os problemas, evita-se fiscalização.

Tirando dúvidas
Acontece hoje, das 10h às 12h, no canal oficial do CRC, no Youtube, perguntas e respostas sobre malhas fiscais com as presenças da diretora Lenai Michels e do auditor fiscal Huelinton Pickler, mediado pela contadora e secretária adjunta Michele Rocalio.

Baixou a gasolina
O pleito federal para baixar as alíquotas dos combustíveis, energia, comunicação e transporte coletivo vem refletindo no consumidor final. Ao menos em relação à gasolina comum, onde se encontram valores inferiores a R$ 6. A maioria dos estados vem aderindo, minimizando o bolso dos que abastecem seus veículos. Já no diesel, que mexe com toda a cadeia econômica, o subsídio aos caminhoneiros tem sido a forma utilizada. Até quando suportará, é a pergunta.

Treinamento em liderança
O Sindifisco/SC, em parceria com a Diretoria de Administração Tributária da SEF/SC, propicia aos colegas auditores fiscais conhecer e se inteirar de ferramentas para potencializar a sua influência no ambiente em que desempenham suas funções com o curso: “Desafios da liderança no setor público”, ministrado pela competente professora Márcia Trindade. Ontem e hoje, os participantes aprofundam o conhecimento em liderança 4.0, produtividade, inteligência positiva e sabotadores, comunicação e oratória, escuta ativa. Louvável a iniciativa, que só engrandece o fisco catarinense.

Conto do vigário
Indivíduo se passando por médico alemão, trabalhando em Damasco, Síria, à procura de parceiro para viabilizar o ingresso de equipamento hospitalar adquirido, porém, por não haver necessidade naquele local, optou por destinar ao Reino Unido, onde seria melhor utilizado. O valor do bem orçado em 1,7 milhões de libras, (aproximados R$ 11 milhões) que, mediante o aceite, destinar comissão de 30% do montante. Um negócio da China que rola na internet, e acaba no seu e-mail – spam. O relato é para que se saiba das artimanhas e não cair em conto do vigário, que está por todas as mídias.

Refletindo
“Quem não luta pelos seus direitos, não é digno deles”. Rui Barbosa. Uma ótima semana!

 

Por Pedro Hermínio Maria – Auditor Fiscal da Receita Estadual de SC